pregnant-stock-photo-painted-happy-smiley-face-on-the-belly-of-pregnant-woman-114085786

Alimentação na Gravidez: COMER SIM, MAS NÃO POR DOIS!

03/01/2013

Aquele ditado que diz “mulher grávida deve comer por dois” faz parte do passado e não condiz com uma gravidez saudável. Mais importante que consumir muita quantidade de alimentos é priorizar a qualidade. Ao dobrar a quantidade de comida você está aumentando as chances de ganhar peso excessivo, complicando a gravidez e trazendo riscos para você e o bebê, como por exemplo: diabetes, hipertensão arterial, parto prematuro, necessidade de cesárea, entre outros.

Para a grávida há um aumento de 300 calorias diárias, durante o segundo e o terceiro trimestre de gravidez. Isso corresponde a 1 copo de leite desnatado e 1 fatia de pão integral ou 1 iogurte e 1 xícara de salada de frutas ou 1 copo de suco de frutas e 1 fatia de pão integral com queijo.

Para que esse aumento de calorias seja atingido, a gestante deve fazer de 6 a 8 refeições por dia em horários regulares (3 em 3 horas). Recomenda-se uma alimentação bastante variada e colorida, incluindo 6 porções diárias de pães e cereais, de preferência integrais, 5 de frutas e 3 a 4 porções de legumes e verduras. Além disso, carnes magras, leite e derivados magros, sempre variando para obter as vitaminas e os minerais que a mamãe e bebê precisam. Não se esquecendo de beber pelo menos 2 litros de água por dia.

Abaixo seguem algumas dicas do que preferir e o que evitar durante a gestação:

Preferir: alimentos ricos em ferro (fígado de boi, carne bovina, aves, ovo, banana prata, bertalha, espinafre, brócolis, couve, leguminosas); ricos em ácido fólico (fígado de boi, espinafre, couve, brócolis, feijão branco, germe de trigo, suco de laranja, repolho); ricos em zinco (carne bovina, peixe, aves, leite/iogurte desnatados, queijo branco, fígado, cereais integrais, leguminosas, nozes); ricos em vitamina C (acerola, goiaba, morango, manga, laranja, mamão, pimentão, bertalha, espinafre, couve); ricos em vitamina A (fígado, manteiga sem sal, couve, agrião, abóbora, cenoura, manga); ricos em vitamina D (arenque, salmão, sardinha, fígado de frango, gema de ovo); ricos em vitamina E (óleo de milho, óleo de soja, óleo de girassol, leite de vaca, abacate, damasco, salmão);

ricos em magnésio (cereais integrais, oleaginosas, folhosos verde-escuros, frutos do mar);

Atenção: O uso moderado de adoçantes foi permitido para gestantes com diabetes pela Associação Americana de Dietética (ADA), que autorizou o uso de produtos à base de aspartame, acesulfame-K e sucralose, sendo considerados seguros ao bebê. O uso de adoçantes e produtos diet à base de sacarina e ciclamato de sódio não são recomendados.

Evitar: pular refeições; excesso de cafeína (café, coca-cola, guaraná, chá, chocolate); alimentos diet ou light; adoçantes sem orientação; carne mal passada ou crua; peixe e ovo cru; legumes e verduras mal lavados, carne de porco; frituras; doces e balas; fumo e bebida alcoólica.

Lembre-se que as orientações contidas aqui são gerais, não consideram casos específicos. Para uma orientação personalizada, consulte um nutricionista!

Danyelle Ventura
Nutricionista
Mestranda da Pós-Graduação em Saúde da Criança, da Mulher e do Adolescente do Instituto Fernandes Figueira – FIOCRUZ

lizanka