O aumento e incentivo da prática esportiva nos dias atuais, seja  em busca de uma saúde melhor, seja competitivamente, vem tornando o uso de anabolizantes ,  um hábito comum, principalmente pelas pessoas que praticam esportes, seja para aumentar a competitividade, contribuir na melhora de lesões ou até mesmo por questões estéticas.

No entanto, o consumo excessivo desse  produto é bastante perigoso podendo causar danos irreparáveis ao corpo humano.

Os esteróides androgênicos anabólicos, conhecidos como anabolizantes, são produtos derivados principalmente da testosterona,  responsáveis por muitas características que diferem no homem e na mulher e atuam no crescimento celular e em tecidos do corpo, como o  tecido ósseo e o muscular.

O uso de anabolizantes pode levar a efeitos colaterais em ambos os sexos, a exemplo do aumento de acnes, queda do cabelo, distúrbios hepáticos, tumores no fígado, alterações de comportamento, como agressividade, paranóia, alucinações, psicoses, alterações de coagulação sanguínea, edema, hipertensão  arterial sem falar no risco da contração de doenças transmissíveis como AIDS e Hepatite.

Em mulheres, o uso de anabolizantes pode acaretar  masculinazação no corpo, tais como engrossamento da voz e surgimento de pêlos além do normal, além da possibilidade de  aumento do tamanho do clitóris, irregularidade menstrual ou interrupção das mesmas, diminuição dos seios e aumento de apetite. 

    Nos homens, o excesso de anabolizantes pode causar aparecimento de mamas, redução dos testículos, diminuição da contagem dos espermatozóides e calvície.

Já em  adolescentes, as consequências podem ser piores, como comprometimento do crescimento, maturação óssea acelerada, aumento da frequência e duração das ereções, desenvolvimento sexual precoce, hipervirilização, crescimento do falo, aumentos dos pelos púbicos e do corpo, além do ligeiro crescimento de barba.

Os hormônios anabolizantes podem ser usados clinicamente e, ocasionalmente podem  ser prescritos sob orientação médica para repor o hormônio deficiente em alguns homens e para ajudar pacientes aidéticos a recuperarem peso.

Outros usos são:

a estimulação da medula óssea . Durante décadas, os esteroides anabólicos foram importantes para a terapia de anemias hipoplásicas não causadas por deficiência nutritivas, especialmente a anemia aplásica. Os esteroides anabólicos vêm sendo lentamente substituídos por hormônios sintéticos que estimulam seletivamente o crescimento de precursores das células do sangue;

Estimulação do crescimento: os esteroides anabólicos foram receitados em larga escala por endocrinologistas pediátricos para crianças com deficiência no crescimento dos anos 1960s até os 1980s. A disponibilidade de hormônio do crescimento sintético e a estigmatização social crescente sobre o uso de esteroides anabólicos levou à descontinuação deste uso;

Indução da puberdade masculina: Andrógenos são receitados para muitos garotos com atraso da puberdade. Atualmente a testosterona é praticamente o único andrógeno usado para esse fim, mas esteroides anabólicos sintéticos foram usados anteriormente nos anos 1980s;

- O enantato de testosterona pode mostrar-se um método útil, seguro, reversível e efetivo para contracepção hormonal masculina num futuro próximo;

- Usado para problemas relacionados com a idade em idosos. Os esteroides anabólicos têm se mostrado como auxiliares em muitos problemas da velhice;

- Usado em terapia de reposição hormonal para homens com baixos níveis de testosterona;

- Usado para dismorfia de gênero: ao passo que as características secundárias masculinas (puberdade) se iniciam em pacientes diagnosticados como feminino-para-masculino. Os derivados mais utilizados da testosterona são o Sustanon (Durateston) e o Enantato de Testosterona que tornam a voz mais grave, aumentam as massas muscular e óssea, os pelos faciais, os níveis de células vermelhas do sangue e o clitóris.

Muitas vezes, o  uso das injeções de anabolizantes esteróides, por serem prescritos de forma não idônea, podem conter outras substâncias, sem serem ao menos esteróides propriamente ditos! 

Nestes casos, o uso de agulhas compartilhadas, pode levar ao risco de infecção pelo HIV e vírus da hepatite.

A busca por um corpo atlético e perfeito, o culto a beleza sem medidas e limites, e a procura por melhores performances em competições tem tornado o uso de anabolizantes cada vez mais frequente. Este produto tem sua prescrição proibida, por apresentarem risco a saúde.

Entrando em contato com as células do tecido muscular, aumentam o tamanho dos músculos do corpo humano. Isso ,  caracteriza Doping, e o esportista pode ser punido por isso, como já ocorreu em inúmeros casos.  Dependendo da situação, o atleta pode ser banido do esporte.

 Em estudo multicêntrico recente, viu-se que os maiores usuários de anabolizantes não são os adolescentes ou atletas, e sim o homem na média de 30 anos, educado, de renda alta, com avidez por um corpo atlético, musculoso e narcisista, ainda que para isso tenha que prejudicar sua saúde.

 

Lizanka Marinheiro -Endocrinologista

FIOCRUZ