DEPRESSào

Depressão e sua associação com doenças crônicas em adultos

03/08/2012

Recente estudo de base populacional publicado na Revista de Saúde Pública da USP, demonstrou uma forte associação entre a depressão e as doenças crônicas, tais como diabetes, hipertensão arterial entre outras.

Tal associação, só reforça a importância da prevenção e tratamento eficazes em todos os níveis de saúde destas doenças, assim como um melhor preparo dos profissionais médicos para diagnosticar e tratar a depressão corretamente; seja na escolha da  medicação correta, seja no estímulo da psicoterapia associada mais adequada a cada caso em questão.O cuidado e abordagem conjunta das doenças crônicas associadas também se faz mister.

Objetivo: Analisar a associação entre depressão e doenças crônicas em adultos.

Métodos: Estudo transversal de base populacional com 1.720 adultos de 20 a 59 anos em Florianópolis, SC, em 2009. O processo de amostragem foi por conglomerados, sendo os setores censitários as unidades primárias de amostragem. Os participantes reportaram ter recebido ou não o diagnóstico de depressão (desfecho) e outras onze doenças crônicas (variável exploratória) por profissional de saúde. As respostas foram agrupadas em nenhuma doença, uma e duas ou mais doenças crônicas. Sexo, idade, estado civil, renda, atividade física, hospitalização e consulta médica foram as variáveis de controle. Foi realizada Regressão de Poisson para estimar as razões de prevalências e respectivos intervalos de confiança (95%).

Resultados: A prevalência de depressão foi de 16,2% (IC95% 14,3%;18,2%), mais elevada entre mulheres, nos mais idosos, nos viúvos ou separados, nos mais pobres, entre os que não praticam atividade física no lazer, que consultaram médico nas duas últimas semanas e naqueles hospitalizados no último ano. Quanto ao número de doenças crônicas, mesmo após ajuste por todas as variáveis de controle, a prevalência de depressão foi 1,44 (IC95% 1,09;1,92) vez maior entre as pessoas que reportaram uma doença crônica e 2,25 (IC95% 1,72;2,94) vezes maior entre aqueles com duas ou mais doenças crônicas em relação às pessoas sem doença.

Conclusões: A prevalência de depressão é expressivamente mais elevada entre pessoas com maior número de doenças crônicas, configurando-se esse grupo como de especial atenção por parte de profissionais de saúde, serviços e formuladores de políticas em relação ao seu acompanhamento.

 

BOING, Antonio Fernando et al. Associação entre depressão e doenças crônicasum estudo populacional. Rev. Saúde Pública [online]. ahead of print, pp. 0-0.  Epub 26-Jun-2012. ISSN 0034-8910.  http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102012005000044.

Lizanka Marinheiro

Prof. Pós-Graduação em Medicina Clínica Aplicada à Saúde da Mulher e da Criança

FIOCRUZ

lizanka