Diabetes melitus como fator associado às disfunções do trato urinário inferior em mulheres atendidas em serviço de referência

31/05/2012
Picture of Urge incontinence

Este trabalho foi objeto de uma tese de mestrado por nós orientada da Dra. Eneida Gonçaves, uroginecologista, chefe do setor de uro-ginecologia do Instituto Fernandes  Figueira – FIOCRUZ, e publicada em janeiro último na Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia -RBGO.

O site da SANOFI AVENTIS, MEDICAL SERVICES, que seleciona e publica semanalmente os melhores artigos de todas as especialidades médicas publicados em todos os periódicos indexados do mundo, para nossa surpresa e prazer selecionou e publicou o nosso. O artigo, é  também da epidemiologista do IFF, Dra. Kátia Silveira. Abaixo o resumo

Objetivo: Descrever As Disfunções Do Trato Urinário Inferior E As Características Demográficas E Clínicas De Mulheres Com Queixas Urinárias, Estimando A Prevalência De Diabetes Melito E De Alterações Urodinâmicas Nestas Mulheres.

 

Métodos: Estudo observacional, transversal, retrospectivo, com análise de 578 prontuários. As prevalências de diabetes melito e de cada diagnóstico urodinâmico nas pacientes com disfunções do trato urinário inferior foram estimadas, com seus respectivos intervalos de confiança de 95%. Foram calculadas as razões de prevalência das alterações urodinâmicas segundo o diagnóstico de diabetes.

 

Resultados: Setenta e sete pacientes (13,3%) eram diabéticas e a maioria (96,1%) tinha diabetes tipo 2. O diagnóstico urodinâmico mais frequente nas pacientes diabéticas foi o de incontinência urinária de esforço (39%), seguido de hiperatividade do detrusor (23,4%). A prevalência de urodinâmica alterada foi associada à de diabetes melito (RP=1,31; IC95%=1,17-1,48). As alterações de contratilidade do detrusor (hiper ou hipoatividade) estiveram presentes em 42,8% das pacientes diabéticas e em 31,5% das não diabéticas.

 

Conclusões: As mulheres diabéticas apresentaram maior prevalência de alterações urodinâmicas do que as não diabéticas. Não houve associação entre o diabetes e as alterações de contratilidade do detrusor (p=0,80).
Keywords: Diabetes mellitus; Prevalência; Urodinâmica; Incontinência urinária; Bexiga urinária hiperativa.

 

Diabetes melitus como fator associado às disfunções do trato urinário inferior em mulheres atendidas em serviço de referência – Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia; [online]. 2011, vol.33, n.12, pp. 414-420

 

Prof.Dra.Lizanka Marinheiro

Endocrinoloigista – Instituto Fernandes Figueira

lizanka