Muitas pessoas vão a um endocrinologista com a idéia  de que este profissional é o indicado apenas para dietas de emagrecimento. Apesar do endocrinologista entender de distúrbios metabólicos bastante comuns na clínica diária tais como, dislipidemias, diabetes, hiperuricemias, e estes estarem muitas das vêzes ligados  a obesidade, o que é hoje uma epidemia mundial, o mesmo trata também das disfunções hormonais, o que é o foco de sua especialidade.

Como em qualquer especialidade médica, hoje em dia, existem profissionais já sub, ou super, especializados, assim que estudam por exemplo apenas a glândula supra-renal, ou a hipófise e assim por diante. Mas de forma geral cabe ao endocrinolgista com boa formação atender ao seguintes casos relacionados aos assuntos que vemos a seguir.

Andropausa 

Com o envelhecimento masculino, pode haver necessidade de reposição dos hormônios sexuais masculinos.

Geralmente os sintomas referidos são cansaço, diminuição de força muscular e disfunção sexual. É mister uma avaliação de um especialista para examinar o paciente como um todo, e ver a necessidade de usar ou não os hormônios sexuais masculinos.

 

Reposição Hormonal da Menopausa

Assim como no homem, faz-se necessário individualizar cada caso em particular, com suas indicações e contraindicações. A reposição hormonal é um tratamento eficaz, feito com hormônios estrogênicos e com a progesterona natuaral semelhantes  aos produzidos pela  própria mulher, para minorar as ondas de calor, o ressecamento vaginal, para melhorar a libido e para prevenir a osteoporose.

 

Distúrbios Menstruais

Nem sempre o ciclo menstrual vem com sua ciclicidade e regularidade  mensalmente, podendo passar meses sem vir, e isto não ser gravidez.

Tais alterações podem ser distúrbios hormonais, e até significar uma dificuldade em engravidar – anovulação. Isso necessita de uma investigação  mais amiúde e  de tratamento, muitas vêzes em conjunto com um ginecologista e equipe.

 

Distúrbios da Puberdade

O aparecimento precoce de pelos pubianos, mama, e /ou odor axilar exagerado em crianças precocemente, podem significar distúrbios hormonais e necessitar de uma avaliação, para que se interrompa a puberdade se for o caso, e assim se evite uma baixa estatura final ao termino da adolescência.

Já os adolescentes que não desenvolverem essas características no tempo certo, também necessitarão de uma avaliação.

 

Excesso de Pelos

O excesso de pelos na face (hirsutismo), acne ou aumento de massa muscular, podem estar  associados com  a produção excessiva de hormônios masculinos – androgênios. Sua causa pode ser com frequência a Síndrome dos Ovários Policísticos, que muito frequentemente está ligada a Síndrome metabólica .

 

Doenças das Glândula Supra – Renais

Mais raros, os distúrbios dessa glândula podem levar ao aumento de peso, estrias avermelhadas, pelos excessivos, hipertensão , puberdade precoce e escurecimento da pele, podendo significar algum distúrbio na glândula supra – renal.

 

Doenças da Hipófise

A secreção de leite pelas mamas é um dos distúrbios mais comuns dentre os distúrbios da hipófise – são as HIPERPROLACTINEMIAS, embora estas, nem sempre signifiquem um problema específico da hifófise.

Tumores da hipófise podem levar à presença de leite nas mamas, fora do período de amamentação, além de mudanças faciais, aumento do numero do sapato, dores de cabeça e distúrbios da visão, num outro distúrbio chamado de ACROMEGALIA.

Crescimento

Embora muitas das chamadas baixas estaturas sejam ditas idiopáticas”, ou seja, as crianças não são portadoras de déficit de hormônio de crescimento, O GH, existem crianças com Síndromes genéticas que precisam e devem fazer uso dele, além de uma pequena parcela com déficit do mesmo,  e portanto, com esta indicação também. A baixa estatura, assim como um crescimento exagerado para idade, também merece investigação do endocrinologista.

Um grande número de doenças genéticas a exemplo da Síndrome de Turner, se faz necessário o uso do GH em acompanhamento conjunto com  o pediatra ou mesmo o endocrinologista pediatra.

Osteoporose

A osteoporose é uma das maiores causas de queda em idosos levando a  incapacidade no mundo, e considerada hoje em dia um problema de saúde pública!

Sua maior causa é a baixa de estrogênio que ocorre na pós- menopausa. Fraturas frequentes podem significar enfraquecimento ósseo. Sua prevenção e tratamento, é hoje também multidisciplinar,  porém é considerada uma doença endócrina.

 

Tireoide

Os hormônios tireoidianos são responsáveis pelo controle do funcionamento de praticamente todos os órgãos.

Leves alterações destes hormônios no sangue, levam a sintomas perceptíveis mostrando que o organismo está trabalhando de mais – HIPERTIREOIDISMO, ou de menos, HIPOTIREOIDISMO, alterando o metabolismo, fazendo com que o corpo produza mais ou menos calor e consuma mais ou menos energia.

Além do HIPO E  HIPERTIREODIMO, ainda existem os NÓDULOS tireoidianos.

Nódulos ou aumento do volume do pescoço – bócio, nervosismo, insônia e alterações no ritmo intestinal, coração acelerado ou desacelerado, perda ou ganho de peso e excesso de frio ou calor podem significar distúrbios da tireoide.

 

Dislipidemias –Aumentos de Colesterol e/ou Triglicerídeos

São causado principalmente por erros alimentares, mas também por algumas doenças do metabolismo, tanto em adultos como em crianças. Necessitam de tratamento, com dieta, exercícios e muitas vezes medicamentos, pois são fatores predisponentes para aterosclerose, e consequentemente para Infarto do Miocárdio e Acidente Vascular Cerebral – AVC.

 

 Diabetes

Causada ou pelo excesso de açúcar no sangue por uma incapacidade do pâncreas em produzir insulina em quantidade suficiente, ou porque  a insulina não consegue exercer sua função de forma adequada. De um bom tratamento e controle dependem a prevenção das complicações crônicas que são irreversíveis, como complicações cardíacas, renais, oculares, e nos pés principalmente. A prevenção do diabetes, e das dislipidemias, passa pela prática de exercícios físicos regulares e por uma boa alimentação.

 

Obesidade

Considerado um problema de saúde pública, tema de estudo, debate e tratamento no mundo inteiro, não só de endocrinologistas, essa doença merece toda atenção e cuidado, pela dificuldade em ser tratada.

Seu enfoque é mais que hormonal; mais que metabólico;

mais que psicológico. Transpõe a barreira da interdisciplinaridade, merecendo um olhar múltiplo de vários saberes, e de vários estudiosos e especialistas.

Suas causas são várias, sua abordagem terapêutica múltipla, suas consequências graves para saúde das pessoas.

Geralmente, ligada, a Hipertensão, Diabetes, aumento do Colesterol, Ovários Policísticos, numa Síndrome hoje denominada de Síndrome Metabólica, ela está presente em milhares de pessoas, levando a riscos letais graves de morte, como as doenças cardiovasculares e vários tipos de câncer. Logo, merece muito ser prevenida e tratada de forma séria, visando melhorar a qualidade de vida das pessoas, num mundo em que a preocupação com envelhecer com saúde deve ser o objetivo de todos!

 

Prof. Dra.Lizanka Marinheiro

Pós- Graduação em Saúde da Mulher e da Criança  e Pós-Graduação em Medicina Clínica Aplicada à Saúde da Mulher e da Criança

Instituto Nacional de Saúde da Criança, Mulher e Adolescente -INSTITUTO FERNANDES FIGUEIRA FIOCRUZ