osteoporosis

Osteoporose em adultos jovens - um desafio.

17/06/2012

Em recente artigo publicado agora em junho na conceituda revista OSTEOPOROSIS INTERNATIONAL, número 9, os autores comentam sobre um desafio como tantos ainda para  a medicina: a osteoporose em adultos jovens!

A osteoporose  pós – menopáusica na mulher  é causada  pelo aumento da perda óssea resultante de deficiência estrogênica existente na pós-menopausa.

A indicação para tratamento, já bem conhecida, é quando há uma densidade mineral óssea baixa, revelada na densitometria por um T score < que 2,5, fraturas típicas por fragilidade óssea  na coluna ou fêmur, e mais recentemente, por uma probabilidade de existência de se ter fratura em 10 anos, em avaliação calculada por um índice já validado chamado de FRAX.

Em contrapartida, não existe um consenso ainda bem definido do conceito de osteoporose assim como do tratamento para casos de osteoporose em adultos jovens, uma vez que uma baixa massa óssea (baixo BMD) nesse grupo, pode refletir um baixo pico de massa óssea fisiológico, como pode ocorrer em pessoas magras, embora nestes casos possam ocorrer fraturas por alto impacto, isto é, sem fragilidades óssea.

A osteoporose verdadeira em pessoas jovens pode existir quando se tem um T score < que 2,5 na coluna ou fêmur, em associação com alguma doença crônica que afete o metabolismo ósseo. Na ausência de causas secundárias, a presença de fraturas por fragilidade óssea como as vertebrais, podem ser de causas genéticas ou idiopáticas. Mulheres jovens com pouca massa gorda, como  bailarinas, maratonistas , anoréxicas, usuárias por longos períodos de corticoides, podem ter osteoporose quando jovens, mesmo antes da menopausa.

Outro fato que preocupa, é que, associada  à baixa massa óssea estão os baixos níveis de vitamina D, existentes hoje com uma  alta prevalência em várias regiões do mundo, inclusive no Brasil, onde no Rio De Janeiro  na FIOCRUZ desenvolvemos uma linha de pesquisa no assunto em cooperação com grupos internacionais, já tendo sido comprovada a deficiência desta vitamina na população de nosso estado. O grupo está estudando junto ao Ministério da Saúde medidas de suplementação em âmbito nacional.

O tratamento, contudo deve visar uma melhora da massa óssea, não existindo na grande maioria da vezes  um tratamento especifico para casos isolados, embora todos os esforços visem a prevenção dos riscos de fratura.

A Fundação Internacional de Osteoporose /IOF, criou recentemente um grupo, para revisar a fisiopatologia, rastreio, diagnóstico e tratamento para este grupo de pacientes jovens com osteoporose, excetuando-se  crianças e adolescentes, visando um  diagnóstico precoce com exames laboratoriais específicos para uma abordagem sistemática desta condição.

 

Lizanka Marinheiro

Endocrinologista – Instituto Nacional de Saúde da Criança, Mulher e Adolecente Fernandes Figueira

FIOCRUZ

 

 

 

lizanka