diabetesmellitus11

Canaglifozina:nova droga para tratamento do diabetes tipo 2 é aprovada nos Estados Unidos

19/06/2013

Nova droga para tratamento do diabetes tipo 2 é aprovada nos Estados Unidos

Uma nova droga para  o tratamento do diabetes tipo 2, a

canaglifozina, foi aprovada nos EUA. O medicamento quando associado a

dieta e atividade física, melhora o controle glicêmico de pessoas

adultas portadoras de diabetes tipo 2.

 

A International Diabetes Federation calcula que o Brasil tenha 13.4

milhões de pessoas com de diabetes, das quais 90% são do tipo 2.

O diabetes tipo 2, na maioria das vezes,  é diagnosticado

tardiamente por ser uma doença  pouco sintomática e, quando não adequadamente

tratada, evolui com complicações cardiovasculares, renais, oculares e no sistema nervoso.

A Canaglifozina é o primeiro medicamento aprovado pertencente a um grupo de medicamentos capazes de reduzir a glicose no sangue por inibirem a reabsorção de glicose pelo

rim ,e assim aumentarem a sua eliminação pela urina.

Nove estudos clínicos que envolveram 10.285 pessoas portadoras de diabetes tipo 2, avaliaram a segurança e eficácia da droga.

Estes estudos mostraram melhora nos níveis sanguíneos da hemoglobin-glicada e da glicemia de jejum.

A canaglifozina foi estudada como medicamento único no tratamento do diabetes tipo 2 e associado a outros medicamentos como: metformina, sulfoniluréia, pioglitazona e insulina.

É contra-indicada em portadores de diabetes tipo 1, ou em presença de severa lesão renal ou, ainda, em pessoas que se submetem à diálise.

Estudos adicionais foram solicitados pela FDA (Food and Drug Administration), para avaliar:

 

. Segurança cardiovascular adicional.

. Ampliar o programa de farmacovigilância para monitoramento de

neoplasias, pancreatite aguda severa, reações de hipersensibilidade,

reações de fotosensibilidade, alterações hepáticas e outros efeitos adversos.

. Efeitos na massa óssea

. Estudo pediátrico sobre farmacocinética e farmacodinâmica

. Estudo pediátrico de segurança e eficácia.

 

Os efeitos colaterais mais comuns observados nos estudos foram:

candidíase vulvovaginal e infecção urinária. Devido a sua associação a um

efeito diurético, pode produzir uma redução no volume intravascular e a

possibilidade de hipotensão postural, podendo resultar em sintomas de

tontura e astenia.

 

A canaglifozina é fabricada pelo laboratório, Janssen Pharmaceuticals,

Inc., Titusville, N.J.

Fonte: SBD

 

Lizanka Marinheiro

Endocrinologista Instituto Nacional da Criança Mulher e Adolescente, FERNANDES FIGUEIRA -FIOCRUZ

Comunicado do FDA, US, em 29 de março de 2013.

lizanka