rainbow

Climatério e Menopausa

15/03/2012

 

É crescente a preocupação das mulheres em sentirem-se jovens e manterem-se ativas por toda a vida. Porém, em um dado momento, percebem-se mudanças que nem sempre são agradáveis: calorões (principalmente na parte superior do tronco e face), atraso menstrual, irritabilidade, pele seca, queda de cabelo, redução de libido…Sim, você pode estar entrando na menopausa!

A menopausa se caracteriza pela ausência de fluxos menstruais por 12 meses consecutivos, sem estar em vigência de nenhuma medicação. Geralmente ocorre entre 40 e 60 anos, sendo que saber a idade que nossa mãe biológica parou de menstruar pode nos dar uma boa pista sobre nosso futuro, embora não seja 100% seguro. Sendo assim, o diagnóstico é retrospectivo (só depois de passado um ano inteiro sem fluxo!) e deve-se sempre afastar outras causas como distúrbios hormonais (hipotireoidismo, hiperprolactinemia, por exemplo), ou anatômicos (alterações uterinas ou vaginais). Diagnóstico por exames laboratoriais (dosagem de FSH e Estradiol) também pode ser feito, mas sabe-se que existem muitos falsos-positivos (exame indicando uma doença quando ela não existe de fato) se a mulher estiver no climatério.

Climatério é o período que antecede a menopausa. É caracterizado principalmente pela irregularidade menstrual (ou mudança no padrão do fluxo), e pode durar de 8 a 10 anos antes de cessarem os ciclos completamente.

Nem todas mulheres apresentam sintomas quando entram na menopausa. Algumas simplesmente param de menstruar e pronto! Porem, independente da presença ou intensidade dos sintomas, a mulher deve procurar um especialista e fazer uma boa revisão de seu estado de saúde. Lembre-se que por causa da mudança do padrão hormonal algumas doenças, como diabetes, hipertensão, dislipidemias e osteoporose, podem aparecer. Logo, seria importante realizar exames apropriados pra saber se sua saúde está preservada. Além disso, medidas preventivas são ainda mais importantes neste período: manter atividade física aeróbica 3 vezes por semana no mínimo, alimentação balanceada e rica em cálcio, boa qualidade de sono são importantes pra preservação da qualidade de vida. E viver com qualidade é o que todos desejamos, não é? Portanto, não deixe pra amanhã e agende já uma consulta para conversar melhor com seu médico sobre isso!

Dra Patrícia Oliveira – CRM 12603

Médica ginecologista e obstetra.

Doutora em Saúde da Mulher pela Fiocruz/RJ

 

lizanka