overweight_and_obesity

Documento do FDA sobre drogas para obesidade: um pequeno histórico

21/05/2012

Food and Drug Administration’s Obesity Drug Guidance Document: A Short History

Circulation:Volume 125(17)1 May 2012p 2156–2164

 

Em recente artigo publicado  na revista Circulation agora em maio, foi feita uma revisão das drogas anorexígenas aprovadas pelo FDA (Food and drug administration), orgão americano que regulamenta  alimentos e medicamentos, sobre a evolução e o desenvolvimento das  mesmas, e das novas que estão por vir.

A obesidade está presente em 70% dos homens adultos  americanos e em 60% das mulheres naquele país. Aumenta o risco de hipertensão arterial, dislipidemia(aumento de colesterol e triglicerídios no sangue), e diabetes,sendo fator de risco independente para doenças cardiovasculares.

Está ligada a certos tipos de cânceres, osteoartrite, apnéia do sono, além de ser um estigma social para as pessoas numa uma sociedade que prega um modelo de beleza, muitas vêzes inatingível, em que ser magro é o sinônimo de sucesso.

Os custos médicos gastos com obesidade e suas consequencias são enormes para os governos,serviços públicos,seguros de saúde, e toda a comunidade científica hoje, está empenhada em pesquisa, inclusive na descoberta e síntese de novas drogas que possam contribuir para o controle desta doença de origem multifatorial e de difícil manejo.

Indústria farmaceutica, orgãos regulamentadores, universidades e centros de pesquisas do mundo inteiro fazem pesquisas de ponta para tentar ver quais as drogas mais efetivas, grupos elegíveis, avaliar seus principais efeitos colaterias, sua eficácia ou não, enfim suas reais indicações e contra-indicações.

O governo brasileiro através da ANVISA, recentemente retirou do mercado  tres drogas usadas para obesidade há mais de 30 anos: o Femproporex, a Dietilpropiona e o Mazindol. Pacientes ainda se confundem se a Sibutramina está proibida ou não no Brasil. Enquanto isso o Victoza  é usado para emagrecimento quando seu uso ainda em bula é apenas para Diabetes.

Esta semana,  comentarei este artigo, que fala historicamente desde a aprovação em 1947 pelo FDA da primeira droga para obesidade, a desoxyefhedrina, até as novas que estão para ser aprovadas.

É isso que falaremos aqui.

Em 1947, o FDA aprovou a primeira droga para obesidade, a desoxyephedrina ou methamphetamine. Em seguida, foram aprovados as anfetaminas como a Phentermina, fenfluramina e outras drogas anorexígenas foram usadas pelas duas décadas e meia seguintes.Em 1973, ja havia um grande abuso do uso dessas medicações no país, e as mesmas não produziam um efeito duradouro sobre a perda de peso.

Nos anos subsequentes, a obesidade deixou de ser vista com apenas uma questão de estética e de beleza, e passou a ser encarada com um problema de saúde pública, com consequencias na longevidade e na saúde.

Foi então que em 1985 foi criado a Conferência de Consenso para Obesidade no NIH (National Insntitue of Health).

Vários estudos clínicos prospectivos com drogas anti-obesidade foram iniciados nessa éopca.

Nos anos 90, foi descoberta a LEPTINA, hormônio derivado do adipócito, um dos envolvidos na regulação do peso, o que coincidiu com a transferência para o FDA, da divisão de drogas neurofarmacológicas  de produtos de endocrinologia e metabolismo.

 

Lizanka Marinheiro

Prof. da Pós-Graduação em Medicina Clínica Aplicada à Saúde da Mulher e da Criança

Instituto Fernandes Figueira – FIOCRUZ

 

lizanka