P

Exercícios físicos na gravidez: riscos e benefícios

05/05/2012

Exercício físico na gravidez: riscos e benefícios

            A prática regular de atividade física sempre foi incentivada em qualquer etapa da vida. Entretanto, algumas mulheres possuem receio de realizar exercício físico durante a gestação, argumentando que o esforço físico pode gerar danos ao feto. O artigo a seguir tem por objetivo esclarecer os possíveis riscos e benefícios do exercício na gravidez.

A gravidez é uma etapa onde o corpo da mulher passa por diversas transformações para gerar uma nova vida. Dentre estas mudanças, o aumento do peso corporal se destaca por estar relacionado com diversas outras alterações no decorrer da gestação.

O excesso de peso gera um aumento na força de compressão das articulações, principalmente no quadril e nos joelhos, que associado a fraqueza da musculatura estabilizadora do quadril e do tronco, podem ocasionar dores na região lombar da coluna (lombalgia). Além disso, o excesso de peso pode gerar prejuízos metabólicos, como a diabetes gestacional. Portanto, o exercício é fundamental no controle do peso corporal, no fortalecimento da musculatura do quadril (glúteo máximo e glúteo médio) e do tronco (musculatura abdominal e paravertebral), prevenindo e minimizando o quadro de lombalgia, além de atuar no controle glicêmico, reduzindo e controlando os casos de diabetes gestacional.

Outra alteração decorrente do aumento do peso corporal é diminuição do equilíbrio, devido a mudança de posição do centro de gravidade. Com isso, devem ser evitados exercícios que possam gerar perda de equilíbrio e aumentem o risco de queda. Outra precaução que deve ser adotada é evitar realizar exercícios na posição supina (barriga para cima), pois podem resultar na obstrução do retorno venoso, reduzindo o débito cardíaco e a perfusão de sangue adequada para mãe e para o feto.

Esportes de contato, como artes marciais e futebol, esportes que utilizam raquete, como o tênis, e esportes que podem levar a algum trauma abdominal, como o vôlei, também devem ser evitados no período de gestação. O mergulho SCUBA e a ioga Bikram são atividades proibidas durante a gravidez, pois promovem um estresse hiperbárico e um ambiente hipertérmico, respectivamente.

O controle da temperatura corporal é fundamental durante a realização de exercícios. A temperatura ambiente deve estar bem controlada, evitando ambientes quentes. O uso de roupas leves e confortáveis, além de hidratação constante são outras medidas que visam o controle da temperatura corporal.

A prática regular de atividade física na gravidez traz inúmeros benefícios como melhora do sono, na sensação de bem-estar, previne e reduz edemas e auxilia no trabalho de parto. Antes de iniciar um programa de exercícios, é obrigatório um check-up com o obstetra para avaliar se há alguma contraindicação para a realização de atividade física. Após a liberação médica, deve-se procurar um profissional de Educação Física para prescrição adequada de exercícios.

É recomendado 30 minutos ou mais de atividade aeróbia moderada, associado ao treinamento de força (musculação) e exercícios de flexibilidade. Exercícios aeróbios, como caminhada e hidroginástica, devem ser realizados diariamente, enquanto que exercícios de musculação devem ser realizados 2 a 3 vezes por semana, realizando de 8 a 10 exercícios por sessão, mobilizando os principais grupamentos musculares. Atenção especial deve ser dada a musculatura estabilizadora do tronco e do quadril. A intensidade do esforço deve ser monitorada pela taxa de percepção de esforço, que deva se situar entre 11 a 14, numa escala de 6 a 20. Uma orientação profissional individualizada durante a prática de exercícios é essencial para que os ajustes de carga e de intensidade sejam adequados.

 

 

Praticar exercícios é sempre a melhor escolha!

 

Wallace Machado

Personal Trainer

wallacemachado@ufrj.br

 

lizanka