mamafotolia_43954236

Síndrome metabólica e fatores prognósticos do câncer de mama no climatério: Um estudo de série de casos

30/03/2013

 

Fundação Oswaldo Cruz

Instituto Fernandes Figueira

Pós-Graduação em Saúde da Criança e da Mulher

 

Síndrome metabólica e fatores prognósticos do câncer de mama no climatério:

Um estudo de série de casos 

                                                                             

     Laura Zaiden e Ferreira Pinto

Dissertação apresentada à Pós-Graduação em Saúde da Criança e da Mulher como parte dos requisitos para a obtenção do título de Mestre em Ciência

Orientadora: Dra. Lizanka Paola Figueiredo Marinheiro

 Co-orientadora: Dra. Viviane Ferreira Esteves de Matos 

  

Rio de Janeiro

Fevereiro 2013

Resumo

  

Objetivo: Descrever os fatores prognósticos do câncer de mama quanto a presença ou não de síndrome metabólica em pacientes no climatério. Métodos: Trata-se de um estudo descritivo, de uma série de casos de mulheres de 45 a 70 anos diagnosticadas com câncer de mama no ambulatório de Mastologia do Instituto Fernandes Figueira (IFF/FIOCRUZ), situado no município do Rio de Janeiro. Foram selecionados todos os casos de câncer de mama confirmados por exames histopatológicos no período de abril de 2011 a dezembro de 2013, com um total de 62 pacientes. As informações foram coletadas a partir do banco de dados do Projeto de Doutorado “Papel da síndrome metabólica no desenvolvimento do câncer de mama em mulheres no climatério” e da revisão de prontuários para a coleta de outras informações necessárias. Resultados: Foi observado que das 62 pacientes 46 (74%) tinham síndrome metabólica. Essas apresentaram maior número de tumores com grau histológico III (32,6% – p=0,37) e tumores em estádios mais avançados (34,8% vs 31,3% estadio II e 19,6% vs 12,5%estadio III – p=0,86). Não houve diferença quanto a positividade dos receptores de estrogênio e dos receptores de progesterona, quanto a superexpressão de HER2, e quanto a presença de metástase axilar. Foi encontrado um maior percentual de realização de quimioterapia neoadjuante entre as pacientes com síndrome metabólica(39,1% vs 12,5% – p=0,11). Conclusão: Os resultados desse estudo corroboram os achados da literatura quanto a associação da síndrome metabólica a um pior prognóstico do câncer de mama.

 

Palavras – chave: Síndrome Metabólica, fatores prognósticos, câncer de mama.

 

Lizanka Marinheiro

Prof. Pós-Graduação  em Saúde da Mulher e da Criança Instituto Nacional da Criança Mulher e Adolescente Fernandes Figueira

FIOCRUZ.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

lizanka