Papa 2013foto

O que fazer agora com a sua saúde, para ficar independente depois dos 70 anos ou mais

28/07/2013

O que fazer agora para ficar independente depois dos 70 anos ou mais

 

Acabamos de presenciar aqui no Rio de Janeiro o término da JORNADA MUNDIAL DA JUVENTUDE. O papa FRANCISCO, um fenômeno de simplicidade e firmeza deixou uma mensagem de fé, esperança, partilha e evangelização. Sua preocupação com as crianças e idosos, foi uma constante em seu discurso simples e profundo. Partilhar  o conhecimento, é uma forma  de evangelizar, dividir.O mundo envelhece,e  as taxas de longevidade aumentaram um terço nos últimos anos , enquanto as taxas de natalidade diminuem a cada dia. Cuidar de sua saúde com carinho,é bem mais simples quando você previne, e evita doenças que podem  ser bem controladas, e até evitadas. Vimos um papa saudável, ágil, esperto. Vimos bispos, cardeais, freiras, pessoas mais velhas que participaram ativamente da jornada. Imitemos e vamos guardar nas nossas mentes essas imagens. No texto abaixo a fisioterapeuta Tãnia Dias nos fala de como ter uma longevidade saudável.

Nós todos esperamos nos mantermos ativos e independentes para o resto de nossas vidas. E a maioria de nós quer permanecer no ambiente familiar de nossas próprias casas e bairros, em vez de  nos mover para uma vida assistida ou em uma comunidade de cuidados continuados, ou, pior, um lar de idosos, uma perspectiva tão devastadora que, de acordo com um estudo publicado na revista médica BMJ, muitas mulheres mais velhas que sofreram fraturas de quadril dizem que preferem morrer do que enfrentá-lo.

Felizmente, existem maneiras de ajudar a garantir que você nunca tenha que fazer uma escolha tão terrível, pelo menos para muitos que a acham assim. Vários riscos para a saúde na meia-idade podem afetar profundamente a sua capacidade de continuar a viver de forma independente. Enquanto isso, novos conceitos e tecnologias estão nos ajudando a permanecer em nossas próprias casas e comunidades, sendo um objetivo atingível para um número cada vez maior de pessoas.

Abaixo estão alguns passos que você pode fazer e recomendar aos amigos e pais idosos.

Salvaguardar a sua saúde

Fumar: Fumar aumenta a probabilidade de uma admissão em casa de repouso em 56% no grupo mais jovem e em 32% no grupo mais velho.

Inatividade: Entre as idades de 45 a 64, o sedentarismo aumentou o risco de entrar em uma casa de repouso em 40% (embora não tenha impacto significativo nas idades mais avançadas).

Obesidade: Na faixa etária de 65 a 74 anos, a obesidade aumenta o risco em 31% (embora não tenha impacto significativo em uma idade mais jovem).

Diabetes: Entre as idades de 45 e 64, a diabetes mais do que dobrou o risco de, eventualmente, entrar em uma casa de repouso.

A pressão arterial elevada: A pressão arterial elevada também aumentou o risco em 35% no grupo de 45 a de 64 e de 29% no grupo mais velho.

Estes problemas contribuem para muitas doenças crônicas que podem causar incapacidade e morte com a idade, incluindo doenças cardíacas, derrame, osteoporose e alguns tipos de câncer.

O efeito foi ainda maior quando estas categorias de risco foram combinadas. Por exemplo, os fumantes diabéticos no grupo mais jovem, eram cinco vezes mais propensos a entrar em uma casa de enfermagem do que as pessoas da mesma idade sem fatores de risco.

O que fazer?
Tomar medidas para resolver esses cinco fatores poderia reduzir não só o risco de uma futura admissão lar de idosos, mas também a chance de morte prematura. Felizmente, a maioria estão sob nosso controle.

Aqui estão algumas coisas que você pode fazer para preservar sua independência ao longo da vida. Tenha em mente que essas mudanças interagem e se reforçam mutuamente, quanto mais você tomar cuidado, maiores os benefícios e a recompensa em potencial para sua saúde.

  • Se você fuma, converse com seu médico sobre as opções para parar de fumar. Nós todos sabemos que fumar faz mal para a saúde, mas aqui está um rápido lembrete de quão ruim: é prejudicial desde antes do nascimento até o fim da vida, aumentando o risco de doenças cardiovasculares, câncer, doenças respiratórias, osteoporose, degeneração macular e catarata.
  • Torne-se mais ativo. Apenas 30 minutos de caminhada rápida cinco dias por semana reduz o risco de ataque cardíaco, derrame e diabetes, reduz os níveis de açúcar no sangue, diminui a depressão e ajuda a ativar genes que limpam gordura e açúcar na corrente sanguínea. Aumentando o seu nível de atividade física para 60 a 90 minutos na maioria dos dias da semana pode ajudar a perder peso e mantê-lo.
  • Melhore a sua dieta por algumas mudanças simples. Adicionar mais porções de legumes verde escuro, vermelho, laranja ou amarelo ou frutas com ingestão diária, com o objetivo de chegar a nove porções por dia. E mudar para gorduras saudáveis​​: pular gorduras trans, escolha menos gorduras saturadas, gorduras e obter mais saudáveis ​​(gorduras monoinsaturadas e poliinsaturadas e ácidos graxos ômega-3). Óleos vegetais, nozes e peixes são boas fontes.
  • Manter a sua pressão arterial sob controle. Exercite-se regularmente, não fume e considerar a adoção do plano alimentar DASH clássico (www.nhlbi.nih.gov / saúde / public / coração / hbp / dash), uma dieta rica em frutas, legumes e produtos lácteos com baixo teor de gordura e pobre em carnes vermelhas (e outras fontes de gorduras saturadas), rebuçados, e sódio (sal). O julgamento OmniHeart, publicado em 2005, mostrou que você pode baixar a pressão arterial ainda mais, comer menos carboidratos e gorduras mais saudáveis ​​e proteínas. Se melhor dieta e aumento do exercício por si só não traz a sua pressão arterial sob controle, prescrição de medicamentos anti-hipertensivos podem ajudar, contanto que você levá-los de forma consistente.
  • Fale com seu médico sobre realizar a densitometria óssea – teste de densidade mineral óssea (DMO). Todas as mulheres com idades entre 65 anos ou mais devem ter sua DMO testada. Se você é de alto risco para a osteoporose, seu médico pode recomendar exames mais cedo. Certifique-se de obter adequada ingestão de cálcio (1.000 a 1.200 mg por dia) e vitamina D (800 a 1.000 UI por dia).

 

A depressão é outro fator de risco para a admissão em lar de idosos. Um estudo europeu de 2007, que analisou informações de 11 países em adultos com idades entre 65 e mais anos recebendo serviços de home care descobriu que quanto mais severamente deprimidos uma pessoa era, mais provável que ele ou ela deveria ser internado em um lar de idosos. Há várias explicações possíveis. A depressão pode desbastar a função imunológica, saúde do coração, auto-cuidado e a capacidade de permanecer ativo e conectado com os outros. Se você acha que pode estar deprimido, fale com o seu médico sobre antidepressivos e psicoterapia.

 

Tânia Dias – FISIOTERAPEUTA

Mestranda em  Saúde da Mulher  – Instituto Nacional da Criança e   Adolescente Fernandes Figueira – IFF

FIOCRUZ

Lizanka Marinheiro

 

Fonte:

Harvard Health Publications Focus on Healthy Living

lizanka